NTT DATA mostra como a inteligência artificial pode ser usada para melhorar a gestão de processos empresariais

“Operações Autônomas” usam IA para gerir processos e executar ações, dando respostas em tempo real a variações de demanda e outros desafios

Salvador, 09/07/2024 – Um estudo recente do Gartner mostrou que quase 70% dos executivos de grandes empresas globais acreditam que o modelo operacional de suas empresas não tem a capaz de se adaptar continuamente​ – e 40% dizem que seus modelos de negócios não serão economicamente viáveis dentro de uma década se o seu modelo de operação não mudar. Para ajudar as organizações a se adaptarem aos novos desafios de negócios, a NTT DATA, líder global em serviços de tecnologia da informação e consultoria, apresenta as Operações Autônomas.

Operações autônomas são processos inteligentes, autoadaptativos e autogerenciados que utilizam tecnologias de ponta, tendo a inteligência artificial como protagonista, para tomar decisões de negócios baseadas em dados. Na prática, são processos que têm a capacidade de gerir e executar ações de modo independente – sem a ação humana – e adaptando, em tempo real, suas ações em resposta a variações de demanda e outros sinais percebidos no mundo real.

“As Operações Autônomas chegam para substituir modelos de negócios ainda pautados na gestão de operações feita de modo fragmentado, que resulta em falta de coordenação e atrasos. O resultado? Processos ineficientes e custos elevados, uma situação insustentável num ambiente de negócios competitivo como temos hoje em nível global”, diz Bruno Magalhães, diretor de Operações da NTT DATA.

A aplicação das operações autônomas gera ganhos de eficiência com otimização de processos, redução de desperdícios e melhor alocação de recursos; redução de custos, com prevenção de falhas e otimização do uso de recursos como água, energia e insumos; tomada de decisões mais rápida e precisa a partir da análise de grandes volumes de dados em tempo real, identificação de padrões e tendências, otimização de processos com base em informações atualizadas em tempo real.

A rápida evolução da IA é um dos fatores que impulsiona o crescimento das operações autônomas. Pesquisa da Hostinger Tutorials, publicada neste ano, mostra que o mercado de IA deve crescer 37% a cada ano até 2030, somando US$ 300 bilhões investidos anualmente pelas empresas.

“A tecnologia é o motor que impulsiona as operações autônomas. Através de algoritmos avançados e análise de dados em tempo real, podemos otimizar cada etapa da cadeia produtiva, desde a gestão de estoque até a logística. A chave para o sucesso reside na colaboração entre áreas, unindo o conhecimento estratégico de negócios à expertise tecnológica para criar soluções que impulsionem a competitividade e a excelência operacional, ou permitam escalar os negócios em cenários de escassez de talentos”, diz Evandro Armelin, sócio líder de Tecnologia Digital da NTT DATA.

Casos de uso

Operações Autônomas podem ser aplicadas em diversas situações. Por exemplo, reembolso de planos de saúde. Em várias seguradoras, esse processo é feito de forma desestruturada, e o cliente do plano de saúde pode ver seu processo concluído em vários dias. Com a abordagem de operações autônomas, a resposta pode ser dada praticamente em tempo real.

Recentemente, a NTT DATA implantou operações autônomas numa siderúrgica, que queria automatizar o processo de transferência de materiais entre plantas de produção. Com o uso de tecnologias como a IA, o processo se tornou mais eficiente. Resultados: queda de 15% nos estoques e 23% a mais de eficiência na velocidade de transferência de materiais entre as unidades.

Outro caso foi aplicado na área de atendimento de uma operadora de call center. A empresa tinha como desafios a alta rotatividade das equipes, aumento do custo de atendimento e falta de padronização de processos. Para isso, o atendimento a clientes passou a ser feito com o uso de IA e algoritmos de machine learning, que têm a capacidade de interpretar sentimentos e intenções dos clientes durante as chamadas e sugerir soluções para os problemas dos clientes. Com isso, houve redução dos erros nas tratativas com os clientes, melhora na experiência e redução de custos.

“A autonomia nas operações não é apenas uma tendência, é a próxima revolução industrial. Ao integrar inteligência artificial e aprendizado de máquina em nossos processos, estamos moldando um futuro em que a eficiência operacional atinge patamares inéditos. Essa transformação nos permite focar em decisões estratégicas, impulsionando a inovação e o crescimento sustentável”, diz Bruno Magalhães.

Últimas notícias