Último Dia do Congresso SUCESU 2024: Inovações em IA e Cases de Sucesso Transformadores

Salvador 07/06/2024 – O segundo e último dia do Congresso SUCESU 2024 começou com grande expectativa na plenária do Hotel Deville Prime. À medida que a sala foi se enchendo de participantes, todos aguardavam ansiosos as discussões do dia. A abertura ficou por conta de uma mesa redonda com o tema “Os desafios do controle e regulação do uso da Inteligência Artificial no Brasil”, moderada por Lúcia Almeida, representante da SUCESU/BA, com participações de Fábio Martins da Silva, Coordenador de Governança de TIC do TJBA, e Yuri Araujo, Diretor de TI do MPBA.

Yuri Araujo, que também é presidente da SUCESU BA, destacou em sua fala a singularidade e o impacto profundo da IA, enfatizando sua capacidade única de transformar informações em novos conhecimentos e influenciar pessoas. Ele afirmou: “Quando eu trago uma tecnologia que é capaz de influenciar pessoas, eu tenho que ter um olhar especial sobre ela. Nós estamos diante de uma tecnologia que já é capaz de influenciar o curso da própria humanidade”, alertou.

Fábio Martins utilizou seu tempo de fala para atualizar os congressistas sobre as principais normativas no Brasil e no mundo em relação à IA, como a tramitação do Projeto de Lei 2338 de 2023 no Brasil e a adoção do marco regulatório pelo Parlamento Europeu. Ele destacou ainda o delicado equilíbrio entre inovação e controle: “A regulação tem um principal problema, que é, quanto mais você regula, mais você inibe o desenvolvimento. O Brasil adotou o marco regulatório aprovado pelo Parlamento Europeu, e estamos considerando que a ANPD cuide também da parte de inteligência artificial.”, encerrou Martins.

IA em Instituições Públicas: Desafios e Regulamentações

Durante o debate, Lúcia Almeida questionou os palestrantes sobre como as instituições brasileiras estão lidando com a regulação da IA. Yuri Araujo respondeu destacando o papel do Ministério Público Brasileiro: “O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) possui uma Comissão de Planejamento Estratégico que trata, entre outros assuntos, de tecnologia da informação e inteligência artificial. Recentemente, foi publicada uma pesquisa indicando que os MPs brasileiros têm 44 iniciativas de inteligência artificial em funcionamento. A preocupação é usar a IA de forma ética, sem inibir seu desenvolvimento, garantindo que não haja viés algorítmico que prejudique os usuários”, destacou Araujo.

Fábio Martins complementou abordando a atuação do Tribunal de Justiça da Bahia: “Em 2020, o CNJ publicou a resolução 332, que regulamenta o trabalho da inteligência artificial no Brasil inteiro, criando a plataforma SINAPS, que é auditada pelo CNJ. O Tribunal de Justiça da Bahia, assim como os demais tribunais, segue esta regulamentação rigorosamente, garantindo que qualquer iniciativa de IA seja ética e sem danos ao cidadão”, concluiu Martins.

Impulsionando Cidades Inteligentes

A Extreme Networks, conhecida por suas soluções inovadoras em redes e automação, apresentou suas mais recentes tecnologias voltadas para cidades inteligentes durante o congresso. A apresentação foi conduzida por Wayne Uyeda, engenheiro de sistemas, e Cleison Machado, executivo de contas da empresa, que destacaram como a Extreme está posicionada para enfrentar os desafios tecnológicos das cidades modernas.

Uyeda iniciou a apresentação explicando a ampla gama de produtos da Extreme, que inclui switches, Wi-Fi, SD-WAN e ferramentas de gerenciamento de rede. Ele ressaltou que “a Extreme não oferece apenas produtos pontuais, mas soluções completas que ajudam a resolver problemas de negócio”. O foco está em entregar soluções que não apenas melhoram a infraestrutura de rede, mas também facilitam a gestão e a automação, essencial para ambientes complexos como as cidades inteligentes.

Um dos principais pontos abordados foi a capacidade da Extreme em reduzir a carga operacional através da automação e do uso de inteligência artificial. Wayne destacou a “rede infinitamente distribuída” da Extreme, que permite uma gestão centralizada e eficiente, mesmo com uma rede altamente distribuída. “Nossa arquitetura de rede possibilita uma gestão centralizada e fácil, fundamental para o funcionamento eficiente de cidades inteligentes”, afirmou.

Cleison Machado complementou a apresentação com exemplos práticos e casos de sucesso, como a implementação da rede no Burj Khalifa e nos cassinos de Las Vegas, demonstrando a robustez e a eficiência das soluções da Extreme. Ele convidou os participantes a visitarem o estande da empresa para conhecerem mais sobre as tecnologias apresentadas. “Temos uma solução única no mercado que aborda a automação e o uso da inteligência artificial, ajudando a construir o futuro das cidades inteligentes junto com nossos parceiros e clientes”, concluiu Cleison.

Segurança da Informação em tempos de Inteligência Artificial: as novas fronteiras da batalha digital

A crescente interseção entre inteligência artificial (IA) e segurança da informação foi um dos tópicos mais debatidos no congresso, com uma apresentação notável de João Gualberto Rizzo, sócio diretor na XSITE Consultoria e Tecnologia. Ele trouxe uma visão abrangente sobre os desafios e as oportunidades que a IA oferece no campo da segurança digital.

Rizzo começou sua palestra contextualizando a importância da segurança da informação, especialmente em períodos eleitorais, onde a proteção dos dados se torna ainda mais crítica. Ele enfatizou que a segurança da informação é “a ciência de proteger os ativos mais importantes da nossa organização”, destacando a informação como o ativo mais valioso.

Um outro ponto da apresentação foi a diferenciação entre IA discriminativa e IA generativa. A IA discriminativa, utilizada há mais tempo, é aplicada em redes sociais e na detecção de padrões ou anomalias de comportamento, sendo essencial para a segurança cibernética tradicional. Em contraste, a IA generativa, que cria novas informações a partir dos dados fornecidos, apresenta novos desafios e oportunidades. Rizzo explicou que a IA generativa pode ser tanto uma ferramenta poderosa para os defensores quanto uma arma potencial para os adversários.

Ele ressaltou que a IA pode ser manipulada por atacantes para realizar engenharia social em larga escala, criando ataques de phishing altamente personalizados e convincentes. Além disso, discutiu o perigo dos deepfakes e como essas tecnologias podem ser usadas para enganar e fraudar indivíduos e organizações.

Na luta contra esses avanços tecnológicos dos adversários, Rizzo sugeriu várias estratégias. Entre elas, a detecção de padrões de ataque usando IA discriminativa, a automação para acelerar a resposta a incidentes e a integração de soluções de segurança. Ele destacou a importância de treinar tanto os usuários humanos quanto as IAs para reconhecer e reagir a ameaças cibernéticas.

Rizzo concluiu enfatizando que, embora a IA generativa traga novos desafios, ela também oferece ferramentas avançadas para enriquecer o contexto, orientar respostas a incidentes e executar ações defensivas. No final de sua apresentação, ele convidou os participantes a visitarem o estande da XSITE para uma demonstração ao vivo da Diana, a assistente virtual da empresa, mostrando na prática como a IA pode ser integrada às operações de segurança cibernética.

Reimaginando a cibersegurança com a IA da Cisco

Seguindo o cronograma de apresentações, a Cisco e a TecnoAtiva apresentaram um painel sobre como a inteligência artificial está transformando a cibersegurança. Representando a Cisco, Douglas Veiga, especialista em segurança cibernética, e Andrea Campelo, CEO da TecnoAtiva, trouxeram atualizações sobre as mais recentes inovações da empresa.

Andrea Campelo, que já havia participado do evento no dia anterior, iniciou a apresentação destacando uma notícia recente: “Na última semana, a Cisco anunciou a criação de um fundo de $1 milhão de dólares para investir em startups de inteligência artificial. Isso mostra o compromisso da Cisco com essa revolução que estamos vivendo.” Douglas Veiga, por sua vez, explicou que a Cisco vem utilizando IA desde 2017 e está constantemente evoluindo seus modelos para enfrentar os desafios de cibersegurança.

Ele enfatizou ainda a importância da recente aquisição da Splunk pela Cisco, uma empresa líder em big data. “A Cisco está criando o ‘SOC do futuro’ ao integrar a tecnologia da Splunk com a infraestrutura robusta da Cisco. Isso permitirá uma detecção, remediação e investigação mais eficaz de incidentes de segurança”, explicou. Ele também apresentou o Cisco Hypershield, uma solução nativa em inteligência artificial generativa, projetada para fornecer respostas proativas a ataques cibernéticos desconhecidos. “A Cisco é o único fabricante que possui um chip neural adaptado para IA em seus equipamentos de infraestrutura”, destacou Douglas.

Na parte final da apresentação, Andrea compartilhou uma reflexão sobre o equilíbrio entre a evolução tecnológica e a evolução humana, citando Ailton Krenak: “Precisamos parar de nos desenvolver para começar a nos envolver.” Ela convidou todos os presentes a se envolverem mais profundamente com a IA, a sociedade e a humanidade, concluindo a apresentação com um chamado à ação e um convite para visitar o estande da Cisco.

Explorando Novas Fronteiras na Gestão de Ativos com Inteligência Artificial

A PARS, uma empresa brasileira com mais de 40 anos de atuação no mercado, está na vanguarda das soluções de gestão de ativos utilizando inteligência artificial. Com um foco em conectar os desafios dos clientes com soluções inovadoras, a PARS atende tanto o setor público quanto o privado. Thiago Teixeira Alves, gerente técnico, Marcus Leal, diretor, e Raphael Militino, coordenador do time de pré-vendas, representaram a empresa e apresentaram soluções com o uso da IA em diversas áreas durante a sessão.

Thiago Teixeira Alves iniciou a apresentação destacando a importância da digitalização na engenharia. “A digitalização de ativos conectados aos projetos atuais é essencial, pois permite uma gestão mais eficaz dos recursos planejados. Com a inteligência artificial, conseguimos acelerar diversos processos, como a simulação preditiva e o design generativo, trazendo soluções mais eficientes e humanizadas para os projetos de arquitetura e engenharia.” Ele também mencionou um estudo realizado em Salvador, onde a IA foi utilizada para analisar o impacto de novas vias e a dissipação de sonoridade, exemplificando o potencial da tecnologia para resolver problemas complexos de infraestrutura urbana.

Marcus Leal, trouxe à tona o potencial da tecnologia Adobe na gestão de ativos digitais. “Com a inteligência artificial, criamos ativos de forma exponencial, democratizando a entrega de conteúdos e garantindo que trabalhemos de forma eficiente e segura. Nossa proposta é que a IA não tire os trabalhos dos humanos, mas sim, nos torne mais humanos, permitindo uma produção mais eficiente.” Ele enfatizou a importância de utilizar a IA de forma responsável, especialmente na propriedade intelectual e na segurança dos dados.

Raphael Militino finalizou a apresentação abordando a infraestrutura necessária para suportar as tecnologias avançadas de IA. “A PARS, em parceria com a Red Hat, garante uma infraestrutura robusta para o armazenamento e acesso aos dados. É essencial ter um ambiente seguro e bem estruturado para que as soluções tecnológicas possam ser eficazes. A segurança dos dados é um ponto crítico, e por isso, trabalhamos com parceiros estratégicos como a Synopsis, que oferece soluções de segurança consolidadas e líderes no mercado.” Ele convidou os presentes a visitarem o estande da PARS para conhecerem mais detalhes sobre as soluções oferecidas.

The Dell AI Factory with NVIDIA DELL EMC

A apresentação de Vicente Moliterno, diretor de vendas para o setor público da Dell, trouxe um panorama detalhado sobre a “Dell AI Factory with NVIDIA”. Ele destacou a importância da inteligência artificial (IA) como uma tecnologia revolucionária para instituições públicas e privadas, enfatizando que a IA vai além de chatbots e respostas automatizadas, envolvendo uma complexa infraestrutura de dados e processamento.

“A inteligência artificial transforma a prestação de serviços de larga escala de maneira segura, precisa e rápida”, afirmou Moliterno. Ele explicou que a Dell oferece uma solução completa, desde o armazenamento e proteção dos dados até a comunicação entre armazenamento e servidores especializados. A Dell AI Factory, lançada recentemente, automatiza a implementação de algoritmos de IA, reduzindo o tempo de implementação para apenas seis a oito semanas.

Moliterno compartilhou um exemplo prático da cidade de Amarillo, no Texas, onde a Dell implementou uma plataforma de humano digital para atendimento em mais de 90 línguas. “Isso aqui está pronto, pessoal. É um micro serviço nosso, já desenvolvido e implementado. Vocês podem consultar o cliente sobre o funcionamento dele”, disse ele, ressaltando a facilidade e rapidez da solução. Para instituições públicas no Brasil, a contratação pode ser feita diretamente com a Dell ou através da parceria de nuvem com a Telebrás, destacando que o serviço de nuvem da Dell é 62% mais barato que a média das principais atas de registro de preço no mercado.

Plataforma de gerenciamento de postura de segurança e exposição de ameaças

Daniel Gomes, Country Manager da Cymulate no Brasil, iniciou sua apresentação destacando a importância da plataforma Cymulate, especialmente no contexto da inteligência artificial. “Talvez muitos de vocês não conheçam a Cymulate, uma empresa israelense fundada em 2016, cujo objetivo é responder à pergunta: quão seguros estamos hoje?”, explicou Daniel. A plataforma é projetada para ajudar empresas a avaliar a eficácia de suas defesas cibernéticas e a exposição a ameaças, integrando-se com tecnologias inovadoras e tradicionais.

Gomes destacou a relevância da metodologia de Gerenciamento Contínuo de Exposição a Ameaças (CETEM) do Gartner, que é implementada pela Cymulate. “Com a evolução rápida das ameaças, é crucial que as empresas estejam preparadas para responder a incidentes de forma eficaz”, disse ele. A plataforma da Cymulate segue cinco etapas principais: escopo, descoberta, diagnóstico, ação e validação contínua. Essas etapas ajudam as empresas a entender seus riscos, priorizar ameaças e implementar ações corretivas, sempre com um foco contínuo na melhoria da postura de segurança.

Ele enfatizou que a Cymulate utiliza a inteligência artificial para simular ataques e avaliar vulnerabilidades, oferecendo um diagnóstico detalhado e orientações para a mitigação de riscos. “Através da nossa plataforma, você pode validar se um ransomware ou qualquer outra ameaça comprometeria seu ambiente e tomar medidas proativas com base nas nossas recomendações”, afirmou Gomes. Ele convidou os participantes a visitarem o estande da Cymulate para aprender mais sobre a plataforma e como ela pode ajudar na gestão de segurança e exposição a ameaças, juntamente com os parceiros 3M Cyber e o distribuidor M3 Port. “Obrigado pela atenção e espero que possamos ajudar vocês a fortalecer sua segurança cibernética”, concluiu.

Data Security Everywhere – Empowering people to work anywhere, with data everywhere

A Forcepoint, líder em soluções de cibersegurança, tem como missão prevenir a perda de dados e garantir a segurança em ambientes de trabalho distribuídos. Gustavo Mendes, Senior Sales Engineer da empresa, iniciou sua apresentação destacando a importância de proteger dados em qualquer lugar, sabendo onde estão armazenados e como são utilizados, especialmente com a expansão exponencial de informações.

“A nossa essência, o nosso DNA, é fazer a prevenção da perda de dados. Nossa principal solução é o DLP (Data Loss Prevention), que cobre todas as possíveis formas de vazamento de informações”, explicou Mendes. Ele ressaltou que a Forcepoint ampliou essa proteção com o gerenciamento de postura de segurança dos dados (DSPM), utilizando inteligência artificial para identificar, categorizar e proteger dados sensíveis.

Mendes destacou a utilização de modelos de aprendizado e redes neurais para acelerar o entendimento e a priorização de dados sensíveis. “A inteligência artificial nos permite automatizar a identificação e classificação de dados, mostrando de forma gerencial o que deve ser priorizado e protegido”, afirmou. Ele convidou todos a visitarem o estande da Forcepoint para entender melhor como a IA pode auxiliar na proteção de dados e garantir segurança em um ambiente de trabalho cada vez mais distribuído.

A Era da Inteligência Artificial: Como a Red Hat Pode Ajudar o Setor Público

A última apresentação da manhã foi conduzida por Weslley Rosalem, que destacou a ampla gama de soluções que a Red Hat oferece além do conhecido Linux, incluindo inteligência artificial. “A Red Hat é pioneira em código aberto e estamos aqui para falar sobre o Red Hat OpenShift AI, uma solução voltada para inteligência artificial”, explicou Rosalem.

Ele enfatizou a versatilidade da inteligência artificial, aplicável em diversas áreas como cidades inteligentes e órgãos governamentais. “Imagina usar a inteligência visual e computacional para identificar carros com ocorrências ou multas em atraso, integrando com a polícia para ações rápidas”, exemplificou. Além disso, Rosalem destacou casos de uso em prevenção de fraudes, como na análise de documentos fiscais.

Rosalem descreveu as etapas essenciais para projetos de inteligência artificial, desde a definição de metas e coleta de dados até o treinamento de modelos e integração com aplicações. “O Red Hat OpenShift AI oferece suporte completo em todas essas etapas, permitindo a execução de modelos em ambientes híbridos, seja em data centers próprios ou na nuvem”, afirmou. Ele mencionou também a integração com aceleradores de processamento como NVIDIA e Intel, e a capacidade de atualizar modelos para manter a precisão.

Almoço e Visitação à Feira

Após a última apresentação da manhã, os participantes tiveram um intervalo para almoço e visitação à feira do congresso. O almoço ocorreu no restaurante do Hotel Deville Prime, proporcionando um momento de descontração e relaxamento. O buffet diversificado ofereceu uma ampla variedade de opções gastronômicas, acompanhadas por um leque de bebidas para todos os gostos. Esse ambiente acolhedor permitiu que os participantes recarregassem as energias para as atividades da tarde. As apresentações foram retomadas às 14h, mantendo o ritmo intenso e produtivo do evento.

ANIA: A Revolução da IA para o controle externo

Com as atividades retomadas após o almoço, a primeira apresentação da tarde foi conduzida por Fábio Correa Xavier, Diretor do Departamento de Tecnologia da Informação do TCE/SP, que trouxe à tona a revolução da inteligência artificial no controle externo.

Xavier iniciou destacando sua experiência e contribuições na área de TI, incluindo publicações e colaborações com revistas renomadas. Ele então mergulhou no tema central de sua palestra, utilizando o episódio “Be Right Back” da série Black Mirror como exemplo de como a IA pode impactar nossas vidas de maneiras surpreendentes e até assustadoras.

Ele descreveu a evolução da inteligência artificial, desde suas origens na década de 1950 até o surgimento do chat GPT, que democratizou a IA ao colocá-la nas mãos do público. Xavier destacou cinco aplicações práticas da IA no setor público: auditoria automatizada de despesas públicas, monitoramento de obras públicas, gestão de serviços públicos, transparência e participação cidadã, e previsão e gestão de riscos.

No Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, diversas soluções de IA foram implementadas, incluindo a ANIA PDF, que permite conversar com documentos PDF, e a ANIA Legis, que facilita a consulta a documentos normativos. Além disso, a ANIA Dados possibilita a interação com dados estruturados, e a ANIA SEI, integrada ao Sistema Eletrônico de Informações, agiliza a gestão de processos administrativos.

Xavier concluiu enfatizando a importância de uma abordagem equilibrada que inclua tecnologia, processos e pessoas, e destacou os desafios éticos e de transparência algorítmica que acompanham o uso da IA. Ele encorajou os presentes a não temerem a inovação e a utilizarem as ferramentas tecnológicas para otimizar seu trabalho e beneficiar a sociedade.

Apresentação do pitches dos Cases de Sucesso

Seguindo a programação da tarde, tivemos a apresentação dos pitches dos cases de sucesso, um momento sempre muito esperado. Este segmento é dinâmico, repleto de criatividade, e todos ficam na expectativa para ver o que será apresentado. O mais interessante é que todas as empresas e órgãos que vão se apresentar são baianos, mostrando as iniciativas de sucesso que já estão em prática na Bahia, beneficiando diretamente os cidadãos.

As apresentações foram rápidas, cada uma com quatro minutos de duração. Os participantes ficaram atentos para não perder nenhum detalhe, pois todos iriam votar no case de sucesso mais interessante. A seguir, um resumo das apresentações:

BA.gov.br – Kátia Argolo, Saeb

Kátia Argolo iniciou apresentando a plataforma digital do governo da Bahia, BA.gov.br. Esta plataforma é fruto de um processo de transformação digital iniciado em 2016, centrado na perspectiva do cidadão. O BA.gov.br nasceu para consolidar serviços públicos digitais, informações e notícias do governo em um único lugar, oferecendo uma experiência omnichannel com empatia, proatividade e conveniência. A plataforma tem mais de 5,3 milhões de cidadãos cadastrados e já realizou mais de 20 milhões de atendimentos digitais.

Larcotec – Patrícia Nogueira, Larco Petróleo

Patrícia Nogueira apresentou o projeto Larcotec, que visa transformar a arquitetura tecnológica da Larco Petróleo. Com uma nova arquitetura mais limpa e uniforme, o Larcotec busca substituir sistemas ultrapassados e integrar diversos projetos de inovação digital. O projeto foi dividido em duas ondas e tem foco na melhoria dos processos internos da empresa, proporcionando recursos para melhores decisões e aumentando a governança. Desde o início do projeto, a Larco subiu no ranking nacional, ocupando agora o terceiro lugar no Nordeste e o quarto no Brasil.

Jornada com o uso da IA em Processos de Negócios no Sistema Fieb – Marcone Delano, Fieb

Marcone Delano apresentou a jornada do Sistema Fieb no uso de IA para automação e robotização de processos. A instituição começou automatizando processos de TI e evoluiu para implementar IA em diversas áreas, como predição de notas dos alunos do SESI, oportunidades de produtos e atendimento ao cliente. Essas iniciativas melhoraram significativamente a eficiência operacional e a qualidade dos serviços prestados.

Detran Bahia – Ricardo Fontoura, Detran Bahia

Ricardo Fontoura destacou o projeto de transformação digital do Detran Bahia, que inclui várias soluções de IA para melhorar a gestão do trânsito. O projeto visa automatizar processos de suspensão do direito de dirigir, multas e gestão da JARI. Com a integração de sistemas como o SEI, Ecarta e GovBR, o Detran Bahia reduziu custos, aumentou a eficiência operacional e melhorou a transparência e rastreabilidade dos processos.

Automatização na Detecção de Necessidade de Vedação em Postos de Visitas e Caixas de Inspeção – Élder Aragão e Lilian Oliveira Gomes, Embasa

Élder Aragão e Lilian Oliveira Gomes apresentaram um case da Embasa que utiliza IA para melhorar a detecção de necessidade de vedação em postos de visitas e caixas de inspeção após desobstrução de redes de esgoto. Com a aplicação de redes neurais convolucionais, a Embasa espera reduzir em 90% as reclamações relacionadas a esses serviços, otimizando a operação e aumentando a satisfação do cliente.

Os participantes foram convidados a votar no case que mais se destacasse, e o resultado seria divulgado ainda no mesmo dia.

IA na prática. Como utilizar a Inteligência Artificial em seus processos de negócios

Após a apresentação dos cases de sucesso, os participantes tiveram a oportunidade de conferir a última palestra do dia, conduzida por Alex Winetzki, CEO da Woopi e Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Stefanini.

Alex começou sua apresentação com um relato comovente sobre a recente catástrofe no Rio Grande do Sul. O estado foi atingido por fortes chuvas em abril, que causaram um desastre natural de nível III, segundo a Defesa Civil.

Ele compartilhou sua experiência pessoal, destacando a generosidade e solidariedade que presenciou durante a crise. “Obrigado por me receberem, é um grande prazer estar aqui. A parte mais difícil dessa palestra vai ser a primeira. Eu vou começar ela agora. Eu estou vindo diretamente do Rio Grande do Sul. Eu estou no Rio Grande do Sul desde que começou a chover, no dia 28 de abril. Eu estou no Rio Grande do Sul desde que a água começou a subir em Porto Alegre, em maio. A partir daquele momento, todo mundo deixou de ser profissional de TI, médico, engenheiro, executivo, funcionário público, e a gente passou a ser voluntário. É a primeira vez que eu deixo o Estado, porque eu não queria deixar o Estado, e ninguém queria. Uma situação daquelas, né? A gente não queria passar por isso, mas uma vez que passou, a Bahia era o único lugar que eu queria estar”, afirmou Winetzki

Comovido, Alex destacou a generosidade e solidariedade que presenciou durante a crise no Rio Grande do Sul, ressaltando a importância de retomar a fé na humanidade.

Em seguida, ele direcionou sua palestra para o tema central: a aplicação prática da inteligência artificial (IA) nos processos de negócios. “Eu trabalho com inteligência artificial há 12 anos na Stefanini, há 15 anos no total, e mesmo para mim, o que aconteceu foi surpreendente. A gente entendia o que era IA generativa, conhecia desde 2018, e achava que não ia dar em nada. Mas em novembro de 2022, a OpenAI lançou o ChatGPT e tudo mudou. As grandes empresas de tecnologia, como Microsoft e Google, perceberam o potencial e começaram a investir pesado.”

Alex enfatizou a importância de entender o problema antes de aplicar a tecnologia e destacou os quatro passos para implementar IA: treinamento, uso da ferramenta, disseminação interna e escalabilidade. Ele compartilhou cases de sucesso e explicou como a IA está redefinindo cenários competitivos, destacando a importância de começar a usar a tecnologia agora para não ficar para trás.

“Eu gostaria que vocês embarcassem nessa jornada, porque é um momento único na história. É um desafio, mas é uma oportunidade incrível para transformar suas organizações.”

Com essas reflexões, seguimos para o aguardado momento de anúncio do resultado da votação dos cases de sucesso, seguido por sorteios e o encerramento oficial do evento.

Premiação do Case de Sucesso e Agradecimentos

Para finalizar, o presidente executivo da SUCESU Bahia, Yuri Araújo, anunciou o case de sucesso escolhido pela votação dos participantes. O vencedor foi BA.gov.br, representado por Kátia Argolo da Saeb. Kátia subiu ao palco para agradecer e reforçou a importância da participação dos cidadãos na plataforma, utilizando os serviços e fazendo sugestões para melhorias contínuas. “A plataforma é para vocês. Meu time está aqui presente e o time BA agradece a votação e conta com a participação de vocês para continuar melhorando o produto,” disse Kátia.

Com a equipe da SUCESU Bahia reunida no palco, Yuri Araújo destacou a preparação intensa e o sucesso do evento. “Foram meses de preparação para entregar esse congresso para vocês. Reuniões todas as segundas-feiras à noite, debates, mas o resultado está aqui: uma casa cheia, pessoas alegres, revendo amigos. Isso é a nossa satisfação.” Ele também anunciou as datas do próximo congresso da SUCESU em 2025, marcado para os dias 4 e 5 de junho, e informou que o Fórum Nacional da SUCESU será realizado em Salvador, um grande orgulho para toda a comunidade.

A tarde se encerrou com um coquetel de confraternização na feira, celebrando o sucesso do evento e deixando todos ansiosos para o próximo encontro.

Patrocinadores

Patrocinadores Diamante:

ComDados

Extreme Networks

Unentel Distribuição

TLD hub de cibersegurança & conectividade

Fortinet

Xsite

Servix

Paloalto Networks

Pars

ForgeTech

Patrocinadores Ouro:

Tecnoativa

TD Synnex

Trend Micro

Cisco

Splunk

Patrocinadores Prata:

Sysdesign

Red Hat

TD Synnex

3MCyber

Cynulate

m3corp

Akamai

INB Tecnologia

Systech

Freshworks

Quiterio Telecom

Service It Security

TD Synnex

Forcepoint

Últimas notícias