Fabricantes

PMEs que utilizam a tecnologia crescem mais em receita e em geração de emprego

Análise encomendada pela Microsoft e conduzida de forma independente pelo Boston Consulting Group mostra o impacto das PMEs na economia local do Brasil

Salvador, 15 de outubro de 2013 — As pequenas e médias empresas (PMEs) líderes na adoção das mais recentes tecnologias da informação (TI) superam muito seus concorrentes no mercado, de acordo com a nova pesquisa realizada pelo The Boston Consulting Group (BCG), encomendada pela Microsoft. No Brasil, as empresas analisadas aumentaram sua receita anual em 16% e criaram novos empregos 11% mais rápido que empresas com níveis menores de adoção de tecnologia entre 2010 a 2012.

O estudo do BCG, Ahead of the Curve: Lessons on Technology and Growth from Small Business Leaders (À frente da concorrência: Lições sobre Tecnologia e Crescimento das Pequenas Empresas Líderes), constatou que se mais PMEs utilizassem tecnologias como software de produtividade, Internet e serviços baseados na nuvem , elas contribuiriam com um acréscimo de US$122 bilhões na economia brasileira e gerariam mais empregos, pois contratariam 2,5 milhões de funcionários a mais. Isso não inclui lucros potenciais na economia informal, estimada em 33% do PIB e 27% da mão de obra, de acordo com o Banco Mundial e com a OIT.

“As pequenas e médias empresas são críticas para o crescimento da economia local e nós queremos entender o impacto da tecnologia nestes negócios”, disse Victor Gureghian, gerente comercial de pequenas e médias empresas e distribuição da Microsoft Brasil, “Desde a crise econômica mundial, muitas economias tem lutado para retomar o forte crescimento econômico e para criar novos postos de trabalho, e esta pesquisa sugere que a maior utilização de soluções de TI pelas PMEs pode impulsionar o crescimento e emprego”, disse.

O BCG pesquisou cinco economias chave — Brasil, Estados Unidos, Alemanha, China, e Índia — e constatou que de 2010 a 2012 as PMEs líderes em tecnologia tiveram taxas de crescimento de receita 15 pontos percentuais maiores e criaram empregos quase duas vezes mais rápido que as PMEs com níveis inferiores de adoção de tecnologias. A adoção mais elevada de tecnologias poderia resultar em US$770 bilhões em receitas adicionais para PMEs nos cinco países pesquisados.

Essa taxa de crescimento somaria cerca de 6,2 milhões de novos empregos somente nesses países. “No Brasil e em outras economias, as PMEs desempenham um papel vital, frequentemente atuando como determinantes primários do crescimento de empregos e da economia,” diz Julio Bezerra, Diretor do BCG e coautor do relatório: “Há uma grande oportunidade tanto para as PMEs quanto para legisladores ao redor do mundo. Mais empresas líderes em tecnologias ajudariam a criar economias mais vibrantes, uma vez que as líderes possuem excelência em inovação”. No caso do Brasil, as PMEs são responsáveis por 40% do PIB e 53% da taxa de emprego.

A pesquisa também revelou que, em quase todas as categorias de produto, estas PMEs com rápido crescimento utilizam soluções Microsoft mais do que quaisquer outros produtos, e que estas organizações percebem a Microsoft como o principal parceiro para futuras necessidades e novas tecnologias. De fato, quando foi perguntado quais tecnologias os entrevistados não poderiam viver sem, eles informaram que o Microsoft Office era superior aos demais aplicativos de produtividade. Além do Office, também citaram os serviços de nuvem da Microsoft como soluções essenciais.

Este é o caso do escritório Andre Kehdi e Renato Vieira Sociedade de Advogados, que recentemente adotou a plataforma Office 365 e o Windows 8. Com a ajuda das empresas parceiras Microsoft, a QuallIT e a A2Works, o escritório de advocacia criminal criado em 2007, implementou as soluções para seus dez colaboradores. A empresa precisava de uma solução que os ajudasse a aperfeiçoar a comunicação e a gestão de documentos de seus clientes.

Por se tratar de um escritório de advocacia, a pesquisa por documentos e processos foi facilitada após a implementação do Windows 8, por conta do acesso rápido a arquivos e sua nova interface mais prática. Já a comunicação foi transformada por meio do Office 365, que ainda possibilitou a utilização do Lync, solução corporativa que permite comunicação instantâneas, ligações via internet e a visualização da disponibilidade dos profissionais. Já a migração do serviço de e-mail para a nuvem, também permitida pelo Office 365, foi o ponto forte do projeto. Hoje os colaboradores do escritório contam com maior mobilidade, pois podem acessar sua caixa de entrada, agenda e calendário por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, além de suas máquinas de trabalho.

O relatório de BCG ainda aponta que a mais recente onda de avanço tecnológico, tais como serviços de nuvem, aumenta as possibilidades de maior inovação e crescimento para os negócios, que passam a ter nestas tecnologias um motor para seu avanço no mercado. A pesquisa revelou que as PMEs líderes em tecnologia melhoraram sua produtividade, conectam-se com novos clientes e mercados, incluindo de diferentes regiões ou países, e tornam-se mais competitivas. Essas empresas empregam toda a gama de ferramentas disponíveis — de software de produtividade à conectividade com a Internet e serviços baseados em nuvem.

Os resultados da pesquisa do BCG com mais de 4.000 PMEs, em cinco das maiores e mais diversas economias do mundo, foram consistentes em todos os setores da indústria – com algumas surpresas dos mercados emergentes e de PMEs fundadas por mulheres. Por exemplo: empresas líderes de tecnologia fundadas por mulheres obtiveram receita média igual ou maior que das empresas criadas por homens.

No geral, a Microsoft encarregou o The Boston Consulting Group para elaborar este relatório de forma independente. O relatório demonstra que a mais recente onda de avanço tecnológico — que engloba software, serviços e soluções baseados em nuvem — torna o potencial para a inovação e o crescimento baseado no uso de tecnologia acessível a todas as empresas. Plataformas baseadas em nuvem oferecem a empresas de qualquer porte o acesso a capacidades e serviços que até o momento estavam disponíveis apenas para as maiores empresas — a uma fração de seu custo histórico. Além disso, essa nova onda pode dar acesso a uma comunidade já conectada de clientes e empresas de tamanho sem precedentes.

Baseado nas entrevistas com tomadores de decisões das empresas líderes em tecnologia, o BCG identifica inúmeros obstáculos para o crescimento e expansão na adoção de TI entre as PMEs. Algumas PMEs — e as economias nacionais apoiadas por elas — já estão para trás. E os gestores de empresas em uma boa posição hoje, não poderão ser gestores amanhã se ficarem acomodados. Tanto as PMEs quanto os governos dos países em que elas estão estabelecidas deveriam tomar ações imediatas. O relatório oferece um plano de recomendações para governos e PMEs para auxiliá-los a vencer os obstáculos para a adoção de tecnologia pelas PMEs. Por fim, demonstra que a urgência para superá-los nunca foi tão grande.

Sobre o relatório:

Entre as mais de 4.000 PMEs pesquisadas, o BCG fez um inventário dos recursos de TI de cada empresa. Isso inclui tecnologias de base como computadores pessoais e ferramentas de produtividade; ferramentas de conectividade, como acesso à Internet e uso de tecnologia móvel; presença online e o uso de redes sociais; e o uso de ferramentas empresariais, como serviços baseados em nuvem. O foco foi especificamente nas ferramentas e serviços de TI (hardware, software e serviços em nuvem) e foram examinadas as práticas que colocam as empresas líderes em tecnologia em uma posição distinta de outras empresas que precisam se atualizar nesse aspecto.

Para acessar o relatório completo em português acesse: http://sdrv.ms/1e4gEEK

® 2007-2011 TIBAHIA.COM - O portal de tecnologia da Bahia. Todos os Direitos Reservados.